Recanto de Alberto Valença Lima
A mente que se abre a uma nova idéia, jamais voltará ao seu tamanho original. (Albert Einstein)
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


O TEU CORPO EM CINESIA


Os versos que te faço nesta noite que não finda
São de afeto, que muito quieto, aqui te espreitando
Chego à porta, e sem bater vou adentrando
Pois já vieste aos meus braços, abertos desde Olinda.

A ti quero causar encantamento, não só neste momento.
As trevas há muito escureceram, que nem vi, o dia
Que me atrevo a sem ti, por teimosia, viver em minha poesia
Mas se chegas de mansinho, e ao vento dás, um só beijo

Que nos lábios meus, tateias como a luz que de teu corpo emana
Não te posso nem tocar, nem solfejar; e teu corpo nesta cinesia
Uma flauta, oboé ou clarinete, tua pele faz-se harpa num arpejo.

Encontrar a sintonia que carece, pra sentir e ouvir a melodia
Que dos anjos se escuta, e deste barco, as janelas que só bebem maresia,
Aqui moras inteira, neste mar, aquela lua, e em minha companhia.
 
Alberto Valença Lima
Enviado por Alberto Valença Lima em 20/05/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Caminhos de mim R$10,00
Caminhos de mim (Poesia) R$38,50
Poesia, Palavra é Arte R$30,00
Musas de um Recanto com Letras, Flores e Poes... R$10,00
UBE - 60 ANOS R$20,00
Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneo... R$35,00
Os mais belos poemas de amor - Edição especia... 40,00
Antologia "Poesias sem fronteiras" (Esgotado) R$20,00